Vinhos para cozinhar: existe um ideal para cada prato

Quem aprecia uma boa comida sabe que um bom tempero é fundamental: a grande marca do chef, seja ele amador ou profissional. O que muita gente talvez ainda não saiba é que uma ótima forma de garantir mais sabor no preparo dos pratos são as marinadas e cocções com bebida alcoólica, especialmente vinhos.

 

Mas na hora de escolher, bate a dúvida? Com qual deles eu vou? Mesmo que usado em poucas quantidades, a qualidade do vinho vai influir no sabor da receita, já que à medida que ele vai cozinhando e reduzindo, suas nuances vão impregnando no prato. Outro fato decisivo é o tipo de uva. Geralmente, vale seguir a regrinha de tintos para carnes vermelhas e brancos, para aves. E eles devem ser secos, sempre (a menos que seja uma sobremesa e a receita peça), porém com acidez moderada, entre 10 e 13%.

 

Entre os brancos, os mais indicados são: Pinot Grigio (mais neutro), Sauvignon Blanc (ótimo para usar em peixes e frutos do mar) e Chardonnay (que dá um sabor mais encorpado aos pratos).

 

Já entre os tintos, os melhores são de baixo tanino e mais frutados, como Merlot, Cabernet, Chianti e Pinot Noir. Isso evita o risco do prato ficar muito forte e até com certo amargor. Isso tudo não significa comprar vinhos caros e como a receita pede uma quantidade pequena, você não sairá perdendo.

 

O ideal são vinhos de preços médios, que você costuma beber. Ou seja, se o vinho é bom no paladar, é bom para cozinhar. Agora, é só aproveitar e se deliciar! Tim-tim!

1/0